quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Looks Passagem de ano 2015










segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Desejos para 2016


Em contagem decrescente para o final de 2015 aproxima-se a passos largos um novo ano e só peço mesmo uma lufada de ar fresco, recheado de energias positivas.
O ano que agora termina foi um fardo muito pesado, como aliás tem sido regra, mas também foi um ano de mudança, uma virada em algo que me fazia muito mal, da qual me consegui livrar, embora pela frente me espere uma longa batalha, que eu sei que vou vencer.
Para 2016 apenas peço paz, saúde e sucesso em qualquer área das nossas vida. Paz porque sem ela não conseguimos andar nem pensar de forma tranquila. Saúde porque sem ela não somos nada. Sucesso porque todos nós ambicionamos ser bem sucedidos e que os frutos do nosso trabalho sejam valorizados e reconhecidos.
As coisas não têm sido fáceis, tal como tem acontecido com a maioria dos portugueses, mas já estou habituada a estar pronta para a luta. Talvez a minha maior benção seja gostar muito de mim, tenho uma auto-estima elevada, e embora, por vezes, falte o otimismo, no dia seguinte lá está ele pronto de novo a assumir o comando.
Desejo que sejam muito felizes, que nunca nos falte nada, sobretudo o aconchego do lar e comidinha na mesa (hoje em dia estes dois bens faltam a muitas pessoas...infelizmente uma dura realidade), que tenham muita saúde e que todos os vossos desejos se realizem.
Que soprem bons ventos a favor de todos nós e que 2016 seja mais leve.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Nostalgia....




Quando chega a esta altura de festas natalícias vem sempre um sentimento de nostalgia, não só pelo passado mas também por aqueles que eu amava e ainda amo mas já não estão cá. Lembro-me tão bem dos meus Natais de infância, rodeada pelos meus tios e primos (mais de 20), somos uma grande família...recordo-me quando colocava a minha bota (uma bota a sério) debaixo da lareira e no dia 25 lá me levantava bem cedo para ir buscar o meu presente...como ficava feliz...ia logo acordar os meus pais porque o Pai-Natal, (eu acreditava mesmo no velhinho de barbas brancas) me tinha trazido aquilo que eu tinha pedido...num ano foi um piano, no outro uma boneca, a seguir um tambor....coisas de criança e de tempos muito felizes...na casa dos meus avós era a festa plena...mais de 40 pessoas à mesa, muito amor e carinho, muitas risadas, jogos para passar o tempo à espera da meia-noite, a ida à missa do galo, as belas iguarias, as brincadeiras com os primos....mas de repente tudo passa...cada um constrói a sua vida, vai para o seu lado, uns ficam perto, outros longe, vai-se perdendo aquela magia da quadra...aliás eu acho que só há magia quando somos crianças, depois, tudo muda, o tempo passa, crescemos, as ideias e a forma de pensar são outras...agora a família é mais pequena mas é a melhor que eu podia desejar, somos muito unidos e temos muito amor entre nós.

Apesar de tudo há sempre uma nostalgia no ar, aliada a uma saudade daqueles que já partiram...da minha avó, os meus avôs, a minha tia, os meus dois tios, pessoas que eu amava, e ainda amo muito...estão sempre no meu coração mas fazem muita falta e nestas alturas ainda mais...ainda por cima perdi pessoas que eu amava e me amavam até à eternidade, daquele amor, entendem, puro e verdadeiro, que cresce e nunca diminui...é triste, a saudade dói, mas a vida tem de continuar, com eles sempre no nosso coração...

Agora para mim o Natal é mais uma data no ano, nada de especial, apenas um dia a marcar o nascimento do Salvador, ele que tudo pode, e é uma época em que os sentimos mais nobres ficam mais exarcebados mas eu faço questão de os colocar em prática todos os dias do ano..afinal o que importante é estarmos com os que mais amamos, termos saúde e paz, porque o resto a gente arranja forma de conseguir com muita determinação e força.

Por isso façam por manter vivo o ano inteiro o espírito desta quadra, não se cansem de dizer que amam os vossos, façam o bem, sejam felizes e tenham fé, muita fé e esperança, vivendo um dia de cada vez...ah e nunca deixem morrer a criança que há em cada um de nós!

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Atitudes que prejudicam o nosso cabelo




Olá!

Hoje falo-vos de atitudes que prejudicam um dos nossos bens mais preciosos: o cabelo. Sendo este um dos melhores cartões-de-visita de uma rapariga, os seus cuidados e preocupações devem ser constantes. E, para ser sincera, não é bonito ver um cabelo com as pontas todas espigadas, cheio de caspa, mal lavado e seboso, mesmo que a pessoa esteja muito bem vestida, muito bem maquilhada e com umas unhas perfeitas. Por isso, ter um cabelo bonito é essencial para tornar uma aparência cuidada e elegante, que, como toda a gente sabe, causa muito boa impressão numa entrevista de emprego e mesmo no dia-a-dia laboral. No entanto, nem toda a gente tem cuidados com o cabelo e há quem não se preocupe minimamente com ele. Por outro lado, há quem realmente tenha todos os cuidados e goste de o arranjar nos melhores cabeleireiros, mas, por erros recorrentes, danificam-no e tornam-no mais oleoso, quebradiço, embaraçado e sem vida.

Portanto, para que isso deixe de acontecer, aqui ficam os 5 maiores erros que, involuntariamente, podem estar a cometer com o vosso cabelo:



1.      Excesso ou falta de lavagem

Muito se fala relativamente ao número de lavagens que se deve dar ao cabelo. Há cabeleireiros que recomendam a lavagem diária, outros que a recomendam dia sim, dia não, e há mesmo quem diga para a intervalar por alguns dias. Esta pode ser uma explicação inconclusiva, por isso, o melhor é adequar o número de lavagens ao tipo de cabelo que se tem. Por exemplo, um cabelo oleoso deve ser lavado com muito mais frequência do que um cabelo seco, que pode aguentar um ou dois dias. No entanto, não deixem de o lavar, se realmente já notam que ficou sem o brilho e sem a sua macieza naturais.

Nota: nunca o deixem chegar ao estado de grande sujidade, pois só o estraga e não é nada bonito. 

2.      Lavar o cabelo com água muito quente

Lavar o cabelo com água muito quente é, para muitas raparigas, algo muito agradável de se fazer nos dias mais frios, principalmente para as mais friorentas. Mas esta acção prejudica o cabelo, originando uma maior oleosidade e uma maior produção de sebo, provocando também uma maior irritação no couro cabeludo. 



3.      Prender o cabelo quando está molhado

Por vezes, fazer uma bolinha com o nosso cabelo molhado dá muito jeito quando estamos em casa e não queremos molhar a roupa (ou se estivermos com muito frio). Mas prender o cabelo molhado é péssimo, pois potencia a criação de caspa e de vários fungos no couro cabeludo, já para não falar do enfraquecimento da raiz, que, consequentemente, provoca a indesejada queda.

Nota: dormir com o cabelo molhado é outro erro gravíssimo que podemos cometer. É certo que lavá-lo à noite é, muitas vezes, inevitável, mas convém secá-lo antes de nos deitarmos. Isto, porque dormir com ele molhado ou húmido é tão mau como prendê-lo neste estado. Um couro cabeludo com fungos e caspa, para além de um fácil aparecimento de sebo, de oleosidade e de outros problemas mais graves, são as consequências desta acção, que parece ser totalmente inofensiva.



4.      Secar o cabelo com o secador muito perto

Este é um dos erros mais habituais e que muitas desconhecem. A forma correcta de secar o cabelo é usando o secador a uma distância de, pelo menos, entre 10 a 20 centímetros, pois uma maior proximidade pode queimar e danificar os seus fios, enfraquecendo-os e tornando-os mais quebradiços. É preciso ter também um certo cuidado com a temperatura, sendo que o ideal é escolher uma que não seja muito quente.



5.      Estar muito tempo sem cortar as pontas

Este é o drama de quase todas as raparigas. Cortar o cabelo é uma das coisas mais detestáveis, sobretudo quando queremos ter o nosso cabelo sempre comprido. “Corte só as pontas, mas muito pouquinho, e mantenha o comprimento” é lei nos cabeleireiros e, fora deles, desabafos como “a cabeleireira cortou demasiado e o que não devia” são recorrentes. Mas a verdade é que é essencial cortar o cabelo, no mínimo, de 3 em 3 meses (a não ser que demore demasiado tempo para crescer), a fim de se evitar o aparecimento de pontas espigadas e fracas, que propiciam uma maior queda, para além de um cabelo mais quebradiço, fino, sem brilho e sem vida.



Já não há desculpas para não terem um cabelo bonito, cheio de vida, sedoso, brilhante e com um aspecto saudável. Se estão a cometer alguns destes erros, corrijam-nos o mais rapidamente possível, em prol de uma aparência mais cuidada e bonita! E nunca se esqueçam que, para além de uma boa lavagem e de uma boa secagem, o cabelo precisa de um tratamento permanente e, acima de tudo, rigoroso. Hidratá-lo frequentemente é fundamental (o óleo de amêndoas é um excelente hidratante), assim como o uso de um bom condicionador para as pontas (nunca coloquem condicionador na raiz, pois provoca uma maior oleosidade, uma produção de sebo e, em casos extremos, o aparecimento de caspa). E é também verdade que, na maior parte das vezes, é só preciso ter bom senso – por exemplo, não usar o alisador de cabelo quando este está molhado e/ou húmido, pois pode queimá-lo e parti-lo com extrema facilidade, ou usar um elástico que não o parta nem o embarace - e saber fazer as melhores escolhas, sempre de forma informada e responsável.

Texto : www.zaask.pt

Fonte da imagem: Pinterest




quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Alguns dos meus miaus...tenho onze :-)






Curiosidades sobre maquiagem




Para a maquiagem durar mais tempo, antes de passá-la, passe uma pedrinha de gelo envolta em gaze, o gelo fecha os poros e faz com que a maquiagem dure mais tempo.

De preferência às bases líquidas ou cremosas, pois ressecam menos a pele. Para espalhar melhor, use uma esponja umedecida em água. Aplique uma base mais clara que a sua pele na testa, porque isso suaviza os traços e ilumina o rosto! Fica muito fashion.

Você sabia que os corretivos com tom levemente esverdeado corrigem melhor olheiras e espinhas?

Use rímel apenas nos cílios superiores, para não carregar o visual. Se o rímel estiver ressecado, pingue algumas gotas de soro fisiológico, assim ele poderá ser usado mais algumas vezes.

Se você for morena, abuse das maquiagens nos tons laranja e pêssego!

Quanto mais natural a maquiagem da boca, mais bonita ficam os traços, uma dica é fazer um contorno com lápis de cor muito próximo dos lábios; se você possui um dos lábios mais fino que o outro, basta reforçar o desenho da parte que se quer aumentar.

Outro truque eficiente para dar volume, é cobrir os cantos externos superiores e inferiores com batom mais escuro, fazendo um degradê até chegar no meio dos lábios com o tom mais claro, para juntar o degradê passe uma pincelada de gloss por cima.

Não use delineador se você tiver olhos pequenos, por que ele os diminui ainda mais!

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

A Promessa do Anjo

Título: A Promessa do Anjo
Autores: Frédéric Lenoir e Violette Cabesos
Título original: La Promesse de L’Angle, Éditions Albin Michel 2004
Tradução: Catarina Rocha Lima
Editora: Difel 82 - Difusão Editorial, Fevereiro 2006
Páginas: 438


Sinopse:
Mortes, Rituais, Segredos Milenares, Amores Proibidos, ao longo de uma história que perdurou no tempo…
Uma rocha na costa da Normandia açoitada pelas tempestades, um lugar de cultos primitivos celtas que foi santificado pelos primeiros cristãos: o Mont-Saint-Michel ainda não revelou todos os seus segredos. No início do século XI, os construtores de catedrais ergueram em honra do arcanjo Miguel, guia das almas ao Além, uma enorme abadia.
Mil anos mais tarde, Johanna, uma jovem arqueóloga apaixonada pela Idade Média e encarregue de levar a cabo escavações na célebre abadia beneditina, encontra-se prisioneira de um enigma no qual passado e presente se unem de forma estranha.
Mortes rituais, segredos milenares, amores proibidos do passado que renascem impetuosos no presente. A jovem arqueóloga tem de percorrer um caminho de volta ao passado, que a situa perante uma história que perdurou no tempo à espera do desenlace final, enquanto uma voz nos seus sonhos lhe repete: «Há que escavar na terra para aceder ao céu.» 


Opinião:
Comprei este livro depois de uma amiga minha ter visitado o tão afamado Mont-Saint-Michel e me ter encantado com todos os pormenores aliciantes daquela visita, além dos segredos cravados em cada rocha daquele catedral erguida num rochedo fustigado pelas tempestades, no século XI, em honra do Arcanjo Miguel. Este foi sempre, através dos séculos, um local sagrado. Desde o universo céltico pagão até ao cristianismo medieval, esteve profundamente ligado a práticas mítico-religiosas.
O entusiasmo inicial não saiu defraudado porque esta é uma obra super cativante que inevitavelmente teria de fazer parte da lista literária da minha vida. Pois é, tal como temos uma banda sonora para cada momento que passamos (eu pelos tenho J, achei por bem criar a minha própria lista literária, da qual fazem parte os livros que mais me marcaram nos últimos anos. E, este é um deles. Apaixonado por arqueologia e pela história, juntei então o útil ao agradável e confesso que os autores conseguiram mesmo transportar-me para aquele monumento sagrado, que só conhecia através de imagens e de um postal que a minha amiga me trouxe daquela ilha francesa.
Trata-se de uma história cativante, muito bem escrita, plena de suspense, e que prende o leitor em cada página. Por isso não foi de estranhar que tenha sido premiada com o “Prix des Maisons de la Presse 2004” e durante quase um ano esteve no top de vendas em França.
A obra conta a história de Johanna, uma jovem arqueóloga apaixonada pela Idade Média, que desde a infância ouve uma voz, nos seus sonhos, que lhe diz: "Ad accedendum ad caelum, terram fodere opportet" (Há que escavar na terra para aceder ao céu). Mil anos mais tarde, é incumbida da missão de fazer escavações na abadia beneditina e fica prisioneira de um enigma no qual o passado e o presente se unem de forma estranha, face a mortes rituais, segredos milenares e amores proibidos que renascem no presente. Este cenário inesperado acaba por obrigar a jovem arqueóloga a uma retrospectiva no tempo e a perceber o porquê da célebre frase que sempre a intrigou “há que escavar na terra para aceder ao céu”. Ou seja, e resumindo de forma prática, colhemos aquilo que semeamos. Muito mistério e vários enigmas por descodificar fazem deste um livro obrigatório para quem como eu adora a história.


quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Tudo por inteiro

Quem me conhece sabe que não sou de metades. Por vezes até sou um pouco radical porque para mim é o tudo ou nada. Não gosto de meias palavras, meias verdades, coisas que ficam por dizer ou fazer. Gosto do agora, do momento, de agir, não suporto a estagnação, a rotina, o melodrama. Tudo por inteiro como eu costumo dizer para evitar mal-entendidos e, sobretudo, problemas desnecessários quando muitas coisas se resolvem através do diálogo, das opiniões sinceras, sem medo de represálias.
Gosto de quem defende aquilo em que acredita, que luta pelo que quer, que não deixa nada a meio, optando por dar um passo de cada vez, honrando a sua palavra e os compromissos assumidos.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Gel duche Aloé Vera Ia - aprovado e recomendado


Não sei o porquê mas a pele do meu corpo ficou sensível e não aceita qualquer gel de banho. Desde que descobri o "Ia", Gel de banho com aloe vera, encontrei a solução que precisava. Até aí, e depois do banho, ficava com muita comichão pelo corpo todo, então decidi ir à farmácia e aconselharam-me este produto. Estou mesmo muito satisfeita e já não quero outro.

E o melhor é que como eu tenho o cartão "Farmácias de Portugal" desconto os pontos e trago o gel duche de borla...o preço dele também é barato porque uma embalagem com 750 ml custa pouco mais de 3€. Por isso, não é preciso comprar nenhum gel hipoalergénio, muito caro, porque aqui temos uma solução bem baratinha e com resultados garantidos.

Acreditem que quem, como eu, sofrer do mesmo problema de pele tem aqui um grande aliado e os vossos problemas acabam-se com a utilização deste produto. Talvez seja da sua composição, com o extrato de aloe vera, o certo é que tem um cheirinho magnífico, a pele fica cheirosa e nada de comichão. Que alívio!

Aprovado e recomendado!

Descrição do artigo

Gel de banho Aloe Interapothek (ia), embalagem de 750 ml

Gel de banho e duche formulado com Aloé Vera para a higiene diária. Limpa e protege a pele mantendo o seu equilibrio natural, proporciona hidratação, regenera e acalma as peles mais delicadas.
Composição: Aloé Vera
Uso recomendado: Aplicar sobre a pele previamente humedecida com uma massagem suave até fazer espuma. Enxaguar com água.


sexta-feira, 20 de novembro de 2015

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

E o país parou...

As dificuldades que Portugal atravessa são mais do que muitas e para agravar toda esta situação tudo está estagnado até que o senhor Silva decida o que fazer com o Governo. Em primeiro lugar devia lembrar-se que no cargo que ocupa tem de defender os interesses dos portugueses e não os seus interesses partidários, depois a solução é simples: indigitar a maioria da esquerda que venceu na AR. As pessoas votaram nesse sentido, repartindo-se os votos por todas as forças partidárias do PS, CDU e Bloco de Esquerda, e uma vez que não há acordo nem maiorias que permitam à coligação PàF manter-se por mais dois anos, há que respeitar o que está consagrado constitucionalmente. Mas não...o senhor Silva decidiu visitar na Madeira, tecer uns comentários que só revelam o seu estado, e continua a ouvir os grandes capitalistas. Mas para quê perder este tempo todo com estes fait-divers se a solução está aos olhos de todos? Independentemente das minhas cores partidárias eu diria que nada mais fácil para se resolver. Mas não...o senhor Silva continua a adiar o inevitável e ou muito me engano, como a Constituição não pode ser revista para se fazerem eleições antecipadas como queria o Passos Coelho (um dos estandartes dos constantes atropelos a um documento em vigor desde 1910), então vai optar por um Governo em gestão para que a nossa situação piore ainda mais...os mercados estão todos na expetativa, o défice e o PIB devem estar já em números gritantes, e tudo por culpa da irresponsabilidade de quem tem poder para decidir. Ai Portugal para onde caminhas?

sábado, 14 de novembro de 2015

Choro por Paris e por todos os inocentes que morrem no mundo

Hoje choro por Paris e por todo o seu povo...mas também choro pelos milhares de inocentes que morrem todos os dias no mundo, sobretudo no muçulmano, à conta do fanatismo e verdadeiros atos tresloucados de espécimes que têm de ser varridas do planeta.
Paris, em particular, deixa-me muito triste porque é uma cidade pela qual me apaixonei...um amor à primeira vista. Estive lá pela primeira vez em março de 2010 e fiquei encantada com os cheiros, as cores, a cultura que se respira em cada canto. Passeei junto à Torre Eiffel, convivi de perto com argelinos e marroquinos, gente simpática, deliciei-me com cada avenida (as galerias Lafayette são mágicas), a ópera de Paris é algo de estonteante, o museu do Louvre, o rio Senna...tudo é mágico, lindo, um verdadeiro encanto...hoje o meu coração chora pela morte de centenas de inocentes às mãos de gente louca, que matam por dá lá aquela palha, dizendo que o fazem em nome de um Deus...mas Deus é amor, é compaixão, é solidariedade, entreajuda...só que estes monstros estão de tal modo com o cérebro moldado por um fanatismo hediondo e alarmante que não tem cura...as crianças são forçadas a isto desde pequenas, pobres seres...
O receio é que muita gente confunde os refugiados com terroristas e isso está errado. Os refugiados fogem precisamente destes mesmo terroristas, deixando para trás toda uma vida, familiares e amigos, em busca de um futuro melhor, sem o som das bombas, das mortes, da destruição!
Grande parte da culpa também pertence às grandes nações capitalistas que fornecem armamento a estes tresloucados e, em muitos casos, até os ensinam a combater num cenário de guerra...eles infiltram-se, fazem-se passar por cidadãos comuns e um dia acontece uma desgraça.
É hora de olhar com olhos de ver para aquilo que está a acontecer, não se deve vender armamento a estes grupos organizados, porque é dar-lhes um relógio bomba para as mãos.
Não sei onde isto vai parar....no ar paira o clima do medo...continuo a dizer que por enquanto estamos num cantinho abençoado mas não sei até quando....tenho receio que se aproxime uma III Guerra Mundial entre ocidentais e muçulmanos...tenho muito receio...
Enquanto isso as minhas preces e orações estão com os familiares e amigos de quem partiu...muita luz e paz às suas almas...não tenho mais palavras


segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Força!


Flores aos vivos

Sem querer ferir susceptibilidades, o dia 1 de novembro é, na minha opinião, uma verdadeira montra de falsas aparências e do politicamente correto. As romagens aos cemitérios para visitar os entes queridos que já não estão entre nós podem ser uma tradição secular mas a maioria das pessoas que por lá andam chegam ao cúmulo de colocar "selfies" no facebook com as campas como pano de fundo, e com rasgados sorrisos. Por amor da santa digo eu!!! Isto é o cúmulo dos cúmulos!
Claro que temos de respeitar as crenças de cada um mas, por mim falo, já perdi pessoas muito importantes na minha vida (deixaram uma saudade eterna no meu coração) e não mais voltei a um cemitério. Isto porque seguindo a minha maneira de encarar a fé e a própria morte e perda de entes queridos tenho-os gravados no coração e as melhores flores dei-as enquanto eram vivos.
Como dizia a minha querida avó, minha segunda mãe, que já partiu para a vida eterna "minha filha as melhores flores quero-as enquanto for viva. Quando morrer não quero ninguém de volta da minha campa nem flores porque não precisarei disso para nada. Apenas que se lembrem de mim e rezem, pedindo luz à minha alma".
Esta frase marcou-me para sempre e faço questão de seguir o que a minha avó tinha pedido. Porque na realidade tenho familiares que desrespeitaram e trataram mal a minha avó e, agora, vão para lá armados em púdicos, só para aparecerem bem na fotografia, chorando lágrimas de crocodilo só para darem nas vistas. Basta de hipocrisia! Enquanto os vossos entes queridos forem vivos façam por lhes dizerem o quanto os amam, tratem-nos bem, deem-lhes carinho, apoio e atenção...porque quando se forem tudo acabou. Temos de zelar por eles enquanto cá estão, oferecendo-lhes a cada dia as flores mais lindas do nosso jardim!

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Uma vénia aos atletas paralímpicos

Portugal voltou a ser notícia pelas medalhas conquistas recentemente nos Mundiais Paralímpicos, comprovando-se, uma vez mais, o valor destes atletas com uma força avassaladora e que transformaram as suas fraquezas em grandes virtudes. Pena é o pouco apoio que quem de direito presta a este desporto, enquanto uns ganham milhões estes ficam-se pelos tostões. Mal da sociedade mas o reconhecimento de grande parte dos portugueses chega através das redes sociais, com a partilha de todas estas conquistas importantes, porque no que toca aos meios de comunicação social muitas ficam-se apenas por uma pequena nota de rodapé. Não são notícias que abram telejornais. E pergunto: porquê? Será que não merecem o mesmo tratamento dos outros atletas? Merecem sim. Merecem isso e muito mais. Porque são pessoas que têm problemas, seja de que nível for, mas conseguem ser autênticos campeões no sentido literal da palavra. Ultrapassaram preconceitos, estigmas impostos pela sociedade, fizeram-se mais fortes, e quando estão em prova não se notam quaisquer diferenças em termos de luta. Talvez até sejam muito mais aguerridos porque durante aquele tempo sentem-se capazes de conquistar o céu e se conseguem de fato vencer os outros adversários então aí a felicidade não se mede por palavras. Não há um dicionário capaz de traduzir tamanhas emoções vividas por verem elevado não só o seu nome como o de Portugal, a sua pátria. São fortes, corajosos, seres humanos de grande nível e um exemplo para todos nós. Isto porque se a maioria fica aterrorizada e paralisa perante a mínima dificuldade, fazendo disso uma gota no oceano, estes desportistas encontraram uma forma invejável de se superarem seja na competição como nas suas próprias vidas. São gigantes. Enormes. E mereciam um outro tratamento por parte do Governo e demais entidades. Sei que não vivem para isso mas para competir a este nível é preciso apoio, que muitos não têm, chegando a pagar dos seus bolsos para treinarem e, assim, puderem estar na sua melhor forma para quando chegar o dia D.
De minha parte faço uma vénia a todos os atletas paralímpicos, aplaudindo-os de pé, com um rasgado sorriso e um grande "obrigada" por nos ensinarem tanta coisa, fazendo ver que somos capazes de tudo quando realmente estamos imbuídos do espírito de conquista. Parabéns a todos, mesmo os que não sobem ao pódio, porque na pista são uns valentes. Superam-se. Saltam barreiras. Contornam obstáculos. E são o exemplo vivo de que com querer, suor, sacrifício podemos chegar muito mais longe.

Gosta de ti e luta por ti

Não é para me gabar mas eu gosto muito de mim. Sempre fiz questão de cultivar uma auto-estima inabalável, capaz de enfrentar tudo e todos, e nenhuma adversidade que se meta no meu caminho me faz cruzar os braços. Será do meu espírito? Faz parte da minha existência? Sim mas também trabalhei muito para isso, investi em mim própria, coisa que muitas mulheres não fazem, e no que toca a relações sentimentais se sentia que não dava mais logo colocava um ponto final.
Não tive muitos relacionamentos mas os que tive até ao dia em que encontrei a minha alma gémea, com a qual me casei e sou imensamente feliz, tive alguns muito desgastantes, sobretudo um de sete anos que me levaram à exaustão. Mas como sempre fui eu que disse "basta" em nome do meu bem-estar físico e mental. Era uma relação que só me fazia mal, consomia-me por dentro. E isso eu não queria. Em primeiro lugar estava eu. Acho que faz falta a muitas mulheres pensarem primeiro nelas próprias. Não é nada saudável manter uma relação que já não tem ponta por onde se lhe pegue apenas para manter as aparências, em nome dos filhos, devido à dependência financeira e por aí fora. Relações de fachada não. Não queiram isso para vocês. Com o decorrer do tempo vão acabando por "apodrecer" de tal forma que um dia já não sabem mais quem são. E não estou aqui a falar de casos de violência doméstica, os mais complexos, mas também aqui há que ter a coragem, e também apoio, para terminar com algo que não faz qualquer sentido.
Estimem-se, respeitem-se, amem-se, nunca deixem que vos deitem abaixo. Façam do amor próprio uma das regras da vossa vida e não se deixem atormentar por sentimentos maus, pelo sofrimento diário e contínuo. Ninguém merece isso. A nossa vida vale muito mais. Muito mais do que imaginam, E nunca liguem às opiniões alheias ou olhares de soslaio, não se deixem influenciar ou amedrontar por aquilo que os outros vão pensar ou dizer. Não há rótulos de mulheres divorciadas ou separadas. Há apenas mulheres que por mera infelicidade terminaram uma relação com a qual não se identificavam e onde não se sentiam nada bem. Colocaram um ponto final para voltarem a sentir aquela alegria perdida de viver. Mesmo que tenham filhos não tem receios. São os vossos pequenos tesouros e acabam, mais cedo ou mais tardar, por perceber o que se passou, porque se pensarem bem também eles sofrem com os gritos, as discussões, os silêncios.
Sejam fortes, guerreiras, mantenham-se firmes rumo ao que pretendem para a vossa vida e façam por ser felizes. Sozinhas ou acompanhadas. Desde que se sintam bem, em paz de espírito e tranquilidade. A escolha é vossa.

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

25 coisas que quero fazer antes de morrer - TAG

Mais uma TAG que vou responder (adoro isto)

25 coisas que quero fazer antes de morrer

Bem isto dá que pensar e pensar e pensar...já fiz muitas coisas que gostaria de ter feito mas ainda existem muitas mais para fazer ou, pelo menos, sonhar...já que o sonho comanda a vida e é por ele que todos os dias vamos ganhando forças para lutar por aquilo que queremos.

1 - Ter um casal de gémeos (a sério amava mesmo)...e como na minha família tenho tios e primos gémeos há uma boa probabilidade disto acontecer, embora um casal seja mais difícil mas pronto é um sonho que tenho.

2 - Viver a minha velhice numa quinta com vista sobre o rio Douro. O meu marido tem raízes durienses e adoro aquela região, com paisagens de cortar a respiração. Aí não podem falta os meus animais, queria ter mesmo um espaço para os recolher a todos.



3 - Ter o meu próprio negócio voltado para as artes. Descobri a minha veia artística desde que conheci a minha alma gémea, faço de tudo um pouco no que toca a artesanato, e queria muito ter a minha própria galeria com várias outras valências num espaço completamente diferente.

4 - Envelhecer ao lado do amor da minha vida, o meu marido, o meu tudo, a minha vida.

5 - Visitar o Egipto. Não sei porquê mas tenho uma adoração especial por esta civilização antiga e muito rica e daí ter uma vasta coleção de objetos relacionados com o Egipto, desde livros, roupas, dvd's, pirâmides, faraós, etc. Fico fascinada com tudo o que tenha a ver com este outro mundo


6 - Conseguir editar o meu livro que está já em andamento. Ainda não comecei a procurar editoras porque o meu desejo é ser eu a lançar este meu livro, cujo título está escolhido mas guardado no segredo dos deuses.

7 - Criar uma associação sem fins lucrativos direcionada para a solidariedade em várias vertentes da sociedade. Acho que faz falta mais humanidade, compaixão e fraternidade.

8 - Aprender a nadar e a andar de bicicleta. A primeira acho que ainda vou a tempo. De bicicleta, com quatro rodinhas não me estou a ver lololol mas nunca se sabe.

9 - Fazer madeixas no cabelo de várias cores, desde o rosa, lilás, azul. As minhas cores favoritas.

10 - Tirar uma outra formação (sou licenciada em Comunicação Social) mas ainda estou à procura de uma outra vocação, uma área que me cative mesmo a sério.

11 - Ter uma coleção infindável de ténis para todas as ocasiões :-) é o meu calçado preferido. Os meus ricos pés não aguentam saltos altos

12 - Poder cometer uma extravagância e ter um produto de maquilhagem de uma das marcas mais conceituadas no mercado.

13 - Fazer uma viagem pela Europa. Conhecer todos os países e as suas culturas. Adoro viajar mas de momento não estão reunidas as condições para isso. Para já conheço a Espanha, França e Suíça. Aos 36 anos não é mau :-) podia ser pior

14 - Aprender a falar corretamente italiano. Adoro esta língua. No topo está o francês, que eu domino na perfeição, mas o italiano...vero...cosa preciosa


15 - Conseguir criar a minha própria marca. Sudani Arts é o nome, já faço vários produtos mas adorava poder comercializa-la.

16 - Ser mais prendada na cozinha. Gosto de cozinhar mas falta-me o cozinhar com prazer, não por obrigação.

17 - Viver num mundo onde as pessoas aprendessem que as aparências iludem muito e onde o esforço das pessoas fosse realmente valorizado e não o facto de serem amigos de fulanos e sicranos, Parece uma utopia mas adorava que tal acontecesse.

18 - Fazer crochet. Sei tricotar, fazer ponto de cruz, arraiolos...só me falta o crochet...há uns anos começei a dar os primeiros passos mas depois parei



19 - Tocar guitarra. Adoro o som, as notas, os acordes...um dia vou inscrever-me num curso



20 - Passar um mês inteirinho num local paradisíaco longe de tudo e todos. Apenas eu e o meu tesouro. Mais nada.

21 - Adotar um estilo mais formal em termos de indumentária. Gosto muito do estilo desportivo só que nem sempre é o mais adequado.

22 - Tirar uma especialização em maquilhagem, estética e cabeleireiro. Adoro realçar a beleza natural de cada pessoa.

23 - Seguir uma carreira na política. Gostava. Acho que podia fazer um pouco a diferença.

24 - Redecorar a minha casa numa mudança radical.

25 - Fotografar não como hobbie mas como algo mais profissional. Ando sempre com a máquina na mala e já ganhei alguns concursos. É também uma das minhas paixões.


Para conhecerem um pouco mais sobre mim

Adoro responder a estas tag's e como vi a querida Akira Ureshi do "Viver num t0" a desafiar toda a gente a participar aqui vai:


1.Qual é o teu estilo de música preferido?
Música é a minha vida. Não passo um dia sem ouvir um som como eu costumo dizer. E gosto de tudo um pouco, cada música para uma ocasião. No topo posso dizer que está o rock dos anos 70 e 80. Sou uma saudosista.

2.Qual é a tua peça de roupa favorita?

Adoro roupa confortável. Vou escolher umas leggins.

3.Qual é o teu calçado preferido?
Uns ténis. Sempre. De verão ou inverno.

4.Camisa ou camisola? Calções ou calças?
Camisola. Não sou muito fã de camisas, atrapalham me as golas lololol Calças sem dúvida. Calções só se for na praia.

5.Cabelo estiloso ou tradicional? Cabelo liso ou encaracolado?
Cabelo rebelde é o que eu gosto. Todo desalinhado.

6.Brigadeiro ou gelado?
Brigadeiro.

7.Doce ou salgado?
Doce e salgado. Gosto de combinar os dois sabores

8.Como é que defines o teu estilo?

Prático e confortável. Um estilo mais para o desportivo. Não gosto do estilo clássico. Só mesmo em ocasiões formais.

9.És do tipo de pessoa que consome bastante ou só compra o básico?

Por incrível que possa parecer compro apenas o que necessito. E sou muito rápida a escolher. Odeio passar muito tempo a experimentar roupas. Aquelas luzes e o calor das lojas deixa me maldisposta.

10.Consideras-te vaidosa?
Sim. Toda e qualquer mulher tem de saber valorizar-se, embora a verdadeira beleza esteja no interior de cada um de nós. Mas gosto de me arranjar e maquiar. Uma sombra nos olhos e um eyeliner não abdico nunca.

E agora vou também desafiar todas as pessoas que queiram participar...bora lá!

domingo, 11 de outubro de 2015

Há termos ou expressões próprias da vossa terra?

A língua portuguesa (tirando o novo acordo ortográfico com o qual não concordo) é muito rica...sem falar nos sotaques e nos dialectos, que eu amo de paixão, cada terra tem os seus próprios termos e expressões para definirem algo ou alguém.

Por cá, no Minho, mais propriamente em Guimarães, o meu berço e o de Portugal, há várias expressões que utilizamos, algumas características de cá, outras do Norte do país. Assim de repente lembro-me de algumas que eu utilizo frequentemente e tenho a dizer que algumas pessoas não sabiam o seu significado.

Vamos lá a um teste?
Vou colocar aqui alguns termos para ver se vocês acertam e se tiveram também os vossos termos próprios do local onde vivem partilhem connosco :-)

Barreleiro
Barado
Batucar
Cagatacos
Caganato
Chumieira
Enxovia
Lourear o queijo
Banzada
Carraspana
Carroça
Medrar
Mofeiro
Meter tudo ao cudilho
Chispar
Abezugado


Se me lembrar de mais coloco aqui...aguardo pelas vossas respostas e partilhas

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Rua com eles

Aproxima-se mais um marco decisivo na democracia do nosso país! Sei que para muitos, a julgar pelas taxas de abstenção nos últimos anos, este é mais um dia qualquer e nem se dignam a cumprir o seu dever como cidadãos, um direito que muito custou aos nossos antepassados...mas para mim é um dia especial porque por mais que digam "vira o disco e toca o mesmo" eu não entro nesse prisma. 

Temos de ser governados por alguém, neste caso os políticos, e goste-se ou não, esta é a realidade. Sei que a corrupção e fraudes não ajudam mas olhem que estes dois problemas não se circunscrevem apenas à política, infelizmente, estão por todo o lado nesta sociedade, abrangendo todos os quadrantes sociais! 

Por isso espero que o povo saia de casa e perca 5 minutos do dia de domingo para ir às urnas e votar em consciência. Que pensem no que aconteceu nestes últimos quatro anos (cá para mim os piores antes do 25 de abril de 74) e em tudo aquilo que nos bateu à porta sem aviso prévio: desemprego a disparar para números nunca antes vistos, pobreza como já não se via há décadas, famílias inteiras e crianças a dormir nas ruas, a saúde pelas ruas da amargura (tudo é privatizado e quem não tem dinheiro está tramado nos poucos serviços públicos que restam), a educação nem se fala, a cultura até foi apagada do mapa com a extinção do ministério que a geria, a dívida a subir em catadupa, os idosos entregues à sua sorte, os milhares de jovens obrigados a deixar para trás familiares e amigos, um país que vira as costas a tudo e todos...apertamos o cinto, quase que não respiramos, e todos estamos a pagar por uma crise que não criamos. 

Eu não votei nos que lá estão porque já sei o que a casa gasta e mais uma vez comprovou-se. Sou de outra facção...sim...onde impera uma vertente mais solidária que é o que mais falta faz neste país que caiu no abismo! 

Desta vez também não votarei nestes trapaceiros, rua com eles, e não compreendo como ainda há tanta mas tanta gente que vai continuar a querer ser governada por estes tipos...não entendo...parece aquele lema "quanto mais me bates mais gosto de ti"...só pode ser masoquismo ou então falta de tudo, ou, neste caso, falta de nada no que toca aos bens materiais....devem estar de barriga cheia,..só pode! 

Eu sou uma das que vai tentar a mudança para a esquerda porque no meu íntimo sei que face às circunstâncias é o melhor para todos...não se aguenta levar mais quatro anos com estas politicas de treta que nos tiram tudo...levaram-nos a carne, agora comam os ossos como sabiamente alguém disse! 

Saiam de casa, percam uns minutos para exerceram o vossos dever mas votem...e não votem em branco ou nulo porque para isso mais vale não sair de casa...mesmo que pensem que não se revêem em nenhuma força política ajudem a mudar o rumo dos acontecimentos com uma cruz no quadrado certo! 

Os que ficarem em casa depois não se venham queixar disto ou daquilo porque não têm moral nem direito para o fazer! Façam o vosso dever e ponto final! Por mim, por vós, por eles, pelo nosso futuro, e mais importante, pelo futuro dos vossos filhos e netos!

sábado, 26 de setembro de 2015

Tendências para o outono

E cá está o outono com todo o seu esplendor. Os dias mais curtos, o frio já se faz sentir por entre os raios de sol um pouco tímidos, as folhas começam a cair das árvores...e com a nova estação chegam as tendências de moda....

Vamos começar pelos casacos, blusões e trench-coats com detalhes que fazem lembrar um soldado. As cores variam entre o preto e o camuflado tropa. Este look ficará excelente combinado com uma saia ou uns sapatos vertiginosos. Esta última sugestão não para o dia-a-dia mas sim para uma saída à noite, caso contrário os pés não aguentam!



MUST HAVE 
----Coletes compridos ou maxi saltam das passarelles para as ruas e o street style enche-se de opções, mais ou menos clássicas. As franjas estão super na moda, quer seja na roupa ou acessórios, como por exemplo as malas. Dos anos 90 chegam os blusões de ganga tamanho XL.




As chamadas culotes, uma espécie de leggins, calças justinhas estilo cavaleiro, vêm do verão de 2014 para arrasarem neste outono. Combine com uma camisola de gola alta ou uma blusa de algodão.



Nos pés os chamados stilletos, sapatos com um salto pequenino, os chamados Kitten heels, botas altas ou botins. No cabelo as tranças continuam em força.