Avançar para o conteúdo principal

Flores aos vivos

Sem querer ferir susceptibilidades, o dia 1 de novembro é, na minha opinião, uma verdadeira montra de falsas aparências e do politicamente correto. As romagens aos cemitérios para visitar os entes queridos que já não estão entre nós podem ser uma tradição secular mas a maioria das pessoas que por lá andam chegam ao cúmulo de colocar "selfies" no facebook com as campas como pano de fundo, e com rasgados sorrisos. Por amor da santa digo eu!!! Isto é o cúmulo dos cúmulos!
Claro que temos de respeitar as crenças de cada um mas, por mim falo, já perdi pessoas muito importantes na minha vida (deixaram uma saudade eterna no meu coração) e não mais voltei a um cemitério. Isto porque seguindo a minha maneira de encarar a fé e a própria morte e perda de entes queridos tenho-os gravados no coração e as melhores flores dei-as enquanto eram vivos.
Como dizia a minha querida avó, minha segunda mãe, que já partiu para a vida eterna "minha filha as melhores flores quero-as enquanto for viva. Quando morrer não quero ninguém de volta da minha campa nem flores porque não precisarei disso para nada. Apenas que se lembrem de mim e rezem, pedindo luz à minha alma".
Esta frase marcou-me para sempre e faço questão de seguir o que a minha avó tinha pedido. Porque na realidade tenho familiares que desrespeitaram e trataram mal a minha avó e, agora, vão para lá armados em púdicos, só para aparecerem bem na fotografia, chorando lágrimas de crocodilo só para darem nas vistas. Basta de hipocrisia! Enquanto os vossos entes queridos forem vivos façam por lhes dizerem o quanto os amam, tratem-nos bem, deem-lhes carinho, apoio e atenção...porque quando se forem tudo acabou. Temos de zelar por eles enquanto cá estão, oferecendo-lhes a cada dia as flores mais lindas do nosso jardim!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Marcas portuguesas de roupa, acessórios, calçado e lingerie

Porque o que é Nacional é bom (este sempre foi um dos meus lemas, lutar e diovulgar aquilo que de melhor se faz no nosso país) andei a fazer uma pesquisa intensiva na internet e deparei me com todas estas marcas portuguesas, na sua maioria expandidas além-fronteiras. Grande parte já conhecia mas outras não e fiquei admirada pela qualidade e beleza das suas coleções. Claro que existem muitas mais mas o post já estava a ficar muito extenso e então selecionei apenas estas! Afinal nós somos muito bons no que fazemos...temos é deixar de lado aquela mentalidade de "coitadinhos" e arriscar, seguir em frente, sem nunca olhar para trás. Estas marcas são a prova disso mesmo. Resultaram do arrojo de pessoas como nós que tinham um sonho e lutaram por ele. Hoje são um caso de sucesso. Uma vénia e aplausos para todos os seus responsáveis. 
No topo das minhas preferências está a One, Lanidor, Salsa, Tiffosi, Parfois...fiquei surpreendida e completamente rendida à Sonne Butti, Scripta, Ria…

Feira de Artesanato de Vila do Conde 2016

Wonder Laces - mais um exemplo do que bem se faz em Portugal

Nasceu para dar uma nova vida às sapatilhas que temos em casa, desafiando - através de aplicações - a criatividade e o estilo pessoal de cada um, de uma forma simples e económica. Chama-se WONDER LACES e é a primeira empresa portuguesa a dar resposta a uma nova tendência de moda estilizada. A WONDER LACES tem à frente Madalena Ruão Garcez, fundadora e gestora da marca que criou em Março deste ano. A responsável explica que a ideia surgiu pelo facto de ser uma apaixonada pelo mundo da moda e que, após um estudo de mercado, descobriu que não havia, em Portugal, nenhuma marca que disponibilizasse aplicações para calçado: “Perante a nova tendência de moda com recurso a aplicações, percebemos que existia uma lacuna no mercado português, uma vez que, não existia nenhuma marca com acessórios para sapatilhas. A WONDER LACES surge com esta missão e com o intuito de dar uma nova vida, não só, às sapatilhas, mas também, ao calçado em geral, de uma forma criativa, prática e económica. Atacadores, …