sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Gosta de ti e luta por ti

Não é para me gabar mas eu gosto muito de mim. Sempre fiz questão de cultivar uma auto-estima inabalável, capaz de enfrentar tudo e todos, e nenhuma adversidade que se meta no meu caminho me faz cruzar os braços. Será do meu espírito? Faz parte da minha existência? Sim mas também trabalhei muito para isso, investi em mim própria, coisa que muitas mulheres não fazem, e no que toca a relações sentimentais se sentia que não dava mais logo colocava um ponto final.
Não tive muitos relacionamentos mas os que tive até ao dia em que encontrei a minha alma gémea, com a qual me casei e sou imensamente feliz, tive alguns muito desgastantes, sobretudo um de sete anos que me levaram à exaustão. Mas como sempre fui eu que disse "basta" em nome do meu bem-estar físico e mental. Era uma relação que só me fazia mal, consomia-me por dentro. E isso eu não queria. Em primeiro lugar estava eu. Acho que faz falta a muitas mulheres pensarem primeiro nelas próprias. Não é nada saudável manter uma relação que já não tem ponta por onde se lhe pegue apenas para manter as aparências, em nome dos filhos, devido à dependência financeira e por aí fora. Relações de fachada não. Não queiram isso para vocês. Com o decorrer do tempo vão acabando por "apodrecer" de tal forma que um dia já não sabem mais quem são. E não estou aqui a falar de casos de violência doméstica, os mais complexos, mas também aqui há que ter a coragem, e também apoio, para terminar com algo que não faz qualquer sentido.
Estimem-se, respeitem-se, amem-se, nunca deixem que vos deitem abaixo. Façam do amor próprio uma das regras da vossa vida e não se deixem atormentar por sentimentos maus, pelo sofrimento diário e contínuo. Ninguém merece isso. A nossa vida vale muito mais. Muito mais do que imaginam, E nunca liguem às opiniões alheias ou olhares de soslaio, não se deixem influenciar ou amedrontar por aquilo que os outros vão pensar ou dizer. Não há rótulos de mulheres divorciadas ou separadas. Há apenas mulheres que por mera infelicidade terminaram uma relação com a qual não se identificavam e onde não se sentiam nada bem. Colocaram um ponto final para voltarem a sentir aquela alegria perdida de viver. Mesmo que tenham filhos não tem receios. São os vossos pequenos tesouros e acabam, mais cedo ou mais tardar, por perceber o que se passou, porque se pensarem bem também eles sofrem com os gritos, as discussões, os silêncios.
Sejam fortes, guerreiras, mantenham-se firmes rumo ao que pretendem para a vossa vida e façam por ser felizes. Sozinhas ou acompanhadas. Desde que se sintam bem, em paz de espírito e tranquilidade. A escolha é vossa.

1 comentário:

  1. Linda, gostei tanto, tanto do teu texto!!
    Quero ser como tu e aprender a gostar mais de mim.
    És um exemplo!
    Beijocas

    ResponderEliminar

AQVA, dermacosméticos com água termal portuguesa

Tal como acontece com outras instâncias termais internacionais - de que são exemplo a Avene, Vichy, La Roche Posay e a Uriage - também as T...