Avançar para o conteúdo principal

Maquilhagem---- início da era das texturas

Encontrei esta entrevista num site brasileiro com Nicolas Berreteaga, top make up artist da Dior e aconselho a ler! Fala sobre um novo boom na maquilhagem, à qual a própria marca já aderiu, onde a cor passa a dar lugar à textura através de novos delineadores de olhos a lembrar a década de 60, onde o relevo assume uma outra importância!



Por Anna Paula Buchalla

É o fim da era das cores e o início da era da textura. Assim Nicolas Berreteaga, top make up artist da Dior para a América Latina, define o momento atual da maquiagem. Nicolas faz parte do seleto worldwide team de maquiadores da marca, mas é, antes de tudo, um caçador de tendências em todo o mundo. Ele é peça-chave na definição de quais serão os novos produtos. Nicolas também é presença certa quando se trata de fazer o look de atrizes nos tapetes vermelhos (já maquiou Catherine Deneuve, Marion Cottillard, Natalie Portman e Olivia Palermo, entre outras) e nos backstages das semanas de moda (seu próximo destino é a China). De passagem por São Paulo para um editorial de beleza que estará nas páginas da edição de setembro da Harper’s Bazaar, Nicolás concedeu a seguinte entrevista:

Bazaar: Como você define a relação atual das mulheres com a maquiagem?
Nicolás: Hoje o que noto é que as mulheres estão mais cosmopolitas, se atrevem um pouco mais. Com um único clique no Instagram e você pode ver o que o mundo está usando, ainda a tempo de usar aqui também. Um exemplo disso é o BB Cream, que teve origem na Coreia do Sul e, uma vez descoberto do outro lado do mundo, fez com que a indústria corresse atrás da formulação do produto. Foi quase uma exigência das consumidoras. Um fenômeno global.

Bazaar: As referências também se tornaram mais acessíveis?
Nicolás: Sem dúvida. Qualquer pessoa pode ter acesso a um cosmético de luxo. Você pode não ter um vestido de alta costura, mas pode comprar uma maquiagem incrível, que faz toda a diferença no seu look. As brasileiras, por exemplo, amam maquiagem e combinações de cores, e isso antes era mais difícil de conseguir.

Bazaar: Quais as tendências atuais em maquiagem?
Nicolás: Esse é um momento curioso porque há muitas tendências, difícil definir uma única. A moda se retroalimenta dela mesma e os modismos vão e voltam. Agora vivemos um boom de delineadores, uma herança dos anos 60. Mas a nova versão dos olhos delineados vem com efeitos mais gráficos, mais texturas e quase nada de cores de sombras.

Bazaar: E como você define as tendências em texturas?
Nicolás: As texturas são basicamente os diferentes efeitos na pele, que pode ser mais glow, hidratada e com aspecto natural, ou velvet, com muito mate e efeito aveludado, mas menos luminosa. É o que temos feito na Dior.

Bazaar: Hoje há uma valorização grande da beleza natural. Como você avalia esse movimento?
Nicolás: Essa é uma tendência que me agrada muitíssimo, da mulher se mostrar como ela realmente é. Mas isso não significa não usar maquiagem, mas sim se beneficiar dos produtos que hoje existem com esse objetivo, e que chegam muito próximo de proporcionar uma pele perfeita. É só encontrar e usar os cosméticos certos. A vantagem é que há muitos deles no mercado para deixar uma mulher o mais natural possível.

Bazaar: O que é para você uma maquiagem perfeita?
Nicolás: A maquiagem perfeita não é aquela que te transforma, mas a que tira o melhor de você. O make também não tem que ter cor sempre. O que existe é a textura certa para o dia e para a noite. A cor é consequência de uma pele perfeita.

Bazaar: Existe a maquiagem do dia e da noite ou esse é um conceito ultrapassado?
Nicolás: Eu não acredito nessa divisão de make para o dia e para a noite. Você pode perfeitamente usar a mesma paleta de cores, mas com efeitos mais ou menos intensos, dependendo da ocasião. Também sou contra a ideia de que a maquiagem tem de combinar com a roupa ou com o tom de pele. Isso é um erro terrível! Você até pode usar um batom vermelho com um vestido dessa mesma cor, mas isso não é uma regra. Evidentemente, há a cor que mais te favorece, mas isso não significa que todas as outras não possam ser usadas.




Bazaar: Que maquiagem você diria que pede cuidado, ou seja, não é para qualquer mulher?
Nicolás: Batom vermelho. Ele, definitivamente, não é para qualquer uma. Usá-lo depende do volume dos lábios, da brancura dos dentes, mas, sobretudo, tem a ver com segurança e atitude. Caso contrário, corre-se o risco de mostrar certa vulnerabilidade, o que põe tudo a perder. Mas quando uma mulher sabe usar um batom vermelho, ela fica incrível! Nunca passa despercebida ao chegar.

Bazaar: O que te faz querer remover imediatamente a maquiagem de alguém?
Nicolás: Base mais escura do que o tom de pele para parecer bronzeada. Detesto! A base tem que se fundir com a pele e não se sobressair a ela. Essa é uma regra básica da boa maquiagem. As pessoas têm que te olhar e pensar: “que pele linda” e não “que base linda”! Muitas mulheres incorrem nesse erro, infelizmente.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Marcas portuguesas de roupa, acessórios, calçado e lingerie

Porque o que é Nacional é bom (este sempre foi um dos meus lemas, lutar e diovulgar aquilo que de melhor se faz no nosso país) andei a fazer uma pesquisa intensiva na internet e deparei me com todas estas marcas portuguesas, na sua maioria expandidas além-fronteiras. Grande parte já conhecia mas outras não e fiquei admirada pela qualidade e beleza das suas coleções. Claro que existem muitas mais mas o post já estava a ficar muito extenso e então selecionei apenas estas! Afinal nós somos muito bons no que fazemos...temos é deixar de lado aquela mentalidade de "coitadinhos" e arriscar, seguir em frente, sem nunca olhar para trás. Estas marcas são a prova disso mesmo. Resultaram do arrojo de pessoas como nós que tinham um sonho e lutaram por ele. Hoje são um caso de sucesso. Uma vénia e aplausos para todos os seus responsáveis. 
No topo das minhas preferências está a One, Lanidor, Salsa, Tiffosi, Parfois...fiquei surpreendida e completamente rendida à Sonne Butti, Scripta, Ria…

Feira de Artesanato de Vila do Conde 2016

Wonder Laces - mais um exemplo do que bem se faz em Portugal

Nasceu para dar uma nova vida às sapatilhas que temos em casa, desafiando - através de aplicações - a criatividade e o estilo pessoal de cada um, de uma forma simples e económica. Chama-se WONDER LACES e é a primeira empresa portuguesa a dar resposta a uma nova tendência de moda estilizada. A WONDER LACES tem à frente Madalena Ruão Garcez, fundadora e gestora da marca que criou em Março deste ano. A responsável explica que a ideia surgiu pelo facto de ser uma apaixonada pelo mundo da moda e que, após um estudo de mercado, descobriu que não havia, em Portugal, nenhuma marca que disponibilizasse aplicações para calçado: “Perante a nova tendência de moda com recurso a aplicações, percebemos que existia uma lacuna no mercado português, uma vez que, não existia nenhuma marca com acessórios para sapatilhas. A WONDER LACES surge com esta missão e com o intuito de dar uma nova vida, não só, às sapatilhas, mas também, ao calçado em geral, de uma forma criativa, prática e económica. Atacadores, …