quinta-feira, 13 de novembro de 2014

A minha luta


Fecho os olhos, rebobino o filme e tudo vai dar ao mesmo: não me encaixo neste mundo, nem tão pouco nesta sociedade.

O que vejo à minha volta dá-me asco, agonia, revolta...tamanha é a deturpação dos valores, dos princípios que se perderam, do materialismo que impera ao invés dos sentimos puros..como é complicado viver aqui e agora!

Talvez eu venha de um outro século, de uma outra era porque tenho a certeza que não pertenço a esta. Não sou anti-social mas as almas negras e ocas que por aí se passeiam levam-me a pensar que, aos poucos, o Homem está a dar cabo de si.

Há ainda os puros, os honestos, os que tentam alcançar os sonhos sem pisar em nada nem ninguém, são sinceros, empreendores, arriscam...e é por eles que faço a minha luta!

Quanto aos seres ignóbeis e mesquinhos são cá de uma futilidade extrema. Armam-se em superiores, em detentores da verdade suprema, tentam espezinhar os outros por maldade pura e dura...mas desses nunca rezará a história porque vivem ou irão viver o inferno que criaram ao seu redor.

Nunca serão livres. Nunca terão uma voz de verdade. Nunca terão salvação possível. Nunca terão paz de espírito. Cá se fazem cá se pagam lá diz o ditado. E eu acredito nisso. Na justiça divina.

Sem comentários:

Enviar um comentário

AQVA, dermacosméticos com água termal portuguesa

Tal como acontece com outras instâncias termais internacionais - de que são exemplo a Avene, Vichy, La Roche Posay e a Uriage - também as T...