terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Ao meu anjo da guarda


Sozinha na noite avanço pela escuridão
Caminho sem destino, sinto uma brisa no rosto
Olho para trás e alguem me segue
Não tenho medo porque ja me sentia acompanhada
Páro por um momento e alguém me toca
Não consigo ver o seu rosto mas sinto a sua presença
Um calor avassalador invade a minha alma
Sei que és tu, aquele que eu procuro incessantemente
Um figura angelical que está sempre comigo
És o meu anjo da guarda, a minha força interior
Aquele que está la para me ajudar a levantar
Me ajuda a esquecer as amarguras
A esboçar um sorriso quanto tudo parece perdido
A ver sempre um luz no meio da escuridão
És único e o meu escudo protector

1 comentário:

AQVA, dermacosméticos com água termal portuguesa

Tal como acontece com outras instâncias termais internacionais - de que são exemplo a Avene, Vichy, La Roche Posay e a Uriage - também as T...