Avançar para o conteúdo principal

Onde está o verdadeiro espírito de Natal?



Com o passar dos anos fui perdendo aquele espírito natalicio, aquela magia que sentia quando era criança e passava esta quadra rodeada de todos os meus tios e primos...eramos mais de 40 pessoas à mesa e aí sentia-se o verdadeiro significado desta quadra, com harmonia, tranquilidade, alegria entre todos! Os tempos mudaram, os netos foram crescendo e casando, os avós envelhecendo e cada um seguiu com a sua vida. Agora tudo é diferente e no meu coração deixaram de brilhar aquelas luzinhas de entusiasmo e muito do que sinto deve-se a um consumismo cada vez mais desenfreado que me tira completamente do sério. Nesta altura nunca ponho os pés num shoping, detesto as filas intermináveis à entrada e dentro das principais cidades, faz-me uma imensa confusão andar tudo com sacos na mão quando durante o ano a maoria nunca se preocupou com os que agora vão presentear com algo...parece-me um forma de compensar as falhas cometidas durante o ano, o esquecimento, a ausência e, acreditem, que esse não é o melhor caminho...pelo menos a mim não me compram com prendas nem com mensagens tipo fotocópias...até tiro o som ao telemóvel e se me der na real gana desligo o mesmo.

Podem chamar-me de antiquada mas acho que esta é uma época onde apenas se deve comemorar o nascimento daquele que lá em cima olha por nós e está atento aos nossos atos. O resto é tudo comércio e mais nada....por aqui não trocamos presentes...somos apenas quatro à mesa e num ano de muitas dificuldades, comuns a tantas outras famílias, temos pelo menos o amor puro e verdadeiro que nos une. Isso sim é o mais importante...a mesa até pode não ter as melhores coisas mas dentro dos nossos corações está um sentimento revigorante que aquece a nossa alma....algo que ninguém nos irá tirar...nunca!

Acho que devemos deixar o materialismo de lado e também desde cedo ensinar as nossas crianças a prevalência do ser sobre o ter...não é preciso gastar fortunas em prendas para os mais pequenos, basta um pequeno miminho e faze los compreender que se trata apenas de um gesto simbólico quando por esse mundo fora milhares de crianças morrem à fome e muitas davam tudo por um colinho, um gesto de amor, um sorriso, um abraço...estes são os sentimentos que devem ser salvaguardados durante todo o ano e colocados em prática!

Por isso aproveitem cada dia como se fosse o último...apreciem uma pequena grande atitude...façam boas ações...não guardem mágoas nem rancores...e eliminem da vossa vida tudo o que vos faz mal! Afinal só vivemos uma vez e temos de aproveitar ao máximo. Mesmo com dificuldades pelo meio, quando as forças parecem faltar, temos de ter sempre uma âncora, um porto de abrigo que são os que nos amam e se preocupam connosco. O resto? Não interessa para nada...é dar ao desprezo e seguir em frente!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Marcas portuguesas de roupa, acessórios, calçado e lingerie

Porque o que é Nacional é bom (este sempre foi um dos meus lemas, lutar e diovulgar aquilo que de melhor se faz no nosso país) andei a fazer uma pesquisa intensiva na internet e deparei me com todas estas marcas portuguesas, na sua maioria expandidas além-fronteiras. Grande parte já conhecia mas outras não e fiquei admirada pela qualidade e beleza das suas coleções. Claro que existem muitas mais mas o post já estava a ficar muito extenso e então selecionei apenas estas! Afinal nós somos muito bons no que fazemos...temos é deixar de lado aquela mentalidade de "coitadinhos" e arriscar, seguir em frente, sem nunca olhar para trás. Estas marcas são a prova disso mesmo. Resultaram do arrojo de pessoas como nós que tinham um sonho e lutaram por ele. Hoje são um caso de sucesso. Uma vénia e aplausos para todos os seus responsáveis. 
No topo das minhas preferências está a One, Lanidor, Salsa, Tiffosi, Parfois...fiquei surpreendida e completamente rendida à Sonne Butti, Scripta, Ria…

Feira de Artesanato de Vila do Conde 2016

Wonder Laces - mais um exemplo do que bem se faz em Portugal

Nasceu para dar uma nova vida às sapatilhas que temos em casa, desafiando - através de aplicações - a criatividade e o estilo pessoal de cada um, de uma forma simples e económica. Chama-se WONDER LACES e é a primeira empresa portuguesa a dar resposta a uma nova tendência de moda estilizada. A WONDER LACES tem à frente Madalena Ruão Garcez, fundadora e gestora da marca que criou em Março deste ano. A responsável explica que a ideia surgiu pelo facto de ser uma apaixonada pelo mundo da moda e que, após um estudo de mercado, descobriu que não havia, em Portugal, nenhuma marca que disponibilizasse aplicações para calçado: “Perante a nova tendência de moda com recurso a aplicações, percebemos que existia uma lacuna no mercado português, uma vez que, não existia nenhuma marca com acessórios para sapatilhas. A WONDER LACES surge com esta missão e com o intuito de dar uma nova vida, não só, às sapatilhas, mas também, ao calçado em geral, de uma forma criativa, prática e económica. Atacadores, …